Se você está considerando comprar um imóvel, mas não tem condições de pagá-lo à vista, o financiamento é uma opção. Mas por se tratar de uma compra que requer um grande investimento financeiro, é importante se planejar. Para isso, saber como calcular o valor da entrada do imóvel é fundamental. 

Assim, antes de fechar negócio, você já saberá com quanto precisará arcar logo no início, e poderá se planejar para cumprir bem o compromisso financeiro das parcelas. Então, quer saber como calcular esse valor? Confira logo abaixo! 

Entrada do imóvel - miniatura de casa ao lado de calculadora

Foto por Freepik

De quanto preciso para pagar a entrada do imóvel? 

Durante o processo de compra de uma propriedade é comum ter algumas dúvidas, principalmente quando se opta por um financiamento. Porém, se informando, tudo fica mais fácil. Por exemplo, você sabia que provavelmente precisará desembolsar até 30% do valor total do imóvel para dar de entrada no financiamento? 

Em alguns casos esse valor pode ser mais baixo. É o que acontece com os servidores públicos que possuem algumas vantagens, dependendo do financiamento, e podem dar apenas 10% ou 20% do valor total do imóvel como entrada. Mas no geral, costuma-se pedir no mínimo 30%.

Além disso, as parcelas do financiamento também não podem comprometer mais do que 30% da renda mensal da família. E é importante saber disso para que, ao procurar por um imóvel, você selecione apenas aqueles que se encaixam nas suas possibilidades financeiras. 

Como calcular esse valor?

Como foi dito acima, excluindo exceções, você precisará desembolsar, para a entrada do imóvel, no mínimo 30% do valor dele. Ademais, não poderá comprometer mais do que 30% da sua renda com o valor das parcelas.

Sendo assim, imagine que você se interessou por uma propriedade no valor de R$250.000. Nesse caso, você precisará oferecer R$75.000 de entrada. No entanto, é importante lembrar das parcelas, e, às vezes, para que elas não excedam 30% da renda, é necessário aumentar valor da entrada. 

Também é preciso lembrar que essa porcentagem do valor da entrada pode variar de acordo com o tipo e o prazo do financiamento escolhido.

Como conseguir o valor da entrada do imóvel? 

Depois de ler tudo o que pontuamos acima, você pode estar achando que será difícil conseguir o dinheiro necessário da entrada para realizar seu sonho. Mas não se preocupe, o financiamento continua sendo uma forma bastante viável de comprar um imóvel e existem algumas maneiras de conseguir esse valor. 

Por exemplo, já considerou utilizar o saldo do seu FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço) para isso? Caso você se enquadre no perfil autorizado para o saque, essa é uma possibilidade. Entre os principais requisitos para sacar estão: ter pelo menos três anos de contribuição, não ter imóveis no seu nome na cidade onde mora e/ou trabalha e não ter financiamento em aberto no SFH (Sistema Financeiro de Habitação).

Outra alternativa, que algumas construtoras disponibilizam, é a de parcelar o valor da entrada. Mas é fundamental não esquecer de calcular nas despesas todas as taxas e impostos que envolvem a compra, como as taxas de registros em cartórios, as certidões e o ITBI (Imposto de Transmissão de Bens Imóveis). Se planejando direitinho, você verá que é possível sim realizar o sonho da residência própria.

E aí? Gostou desse texto? Deseja ler outros textos como esse? Então continue nos acompanhando por aqui! Além disso, conheça o nosso Residencial Alicante! Ele pode ser exatamente o que você está procurando.