fbpx

Principais dúvidas sobre apartamento na planta respondidas e explicadas

Apartamento na planta - arquiteto desenhando planta de prédio

Foto: Daniel McCullough / Unsplash

Comprar um apartamento na planta é, certamente, um bom investimento para quem não está com pressa de se mudar. Entretanto, nem sempre fica claro o que é preciso fazer para comprar um ou quais passos seguir para adquirir. 

Isso pode deixar o comprador com um pé atrás e, com isso, perder uma excelente oportunidade. Por isso, selecionamos algumas das principais dúvidas sobre apartamentos na planta para esclarecer pontos que mais causam questionamentos e, com isso, tornar o caminho para a compra mais fácil. Confira!

 

Como funciona a compra de um apartamento na planta?

A compra de um apartamento na planta possui duas etapas: pré e pós entrega das chaves. Durante as obras do empreendimento, que costuma durar entre 16 e 36 meses, o comprador paga apenas a entrada (ou sinal) e as primeiras parcelas do imóvel.

Esse valor é cobrado porque a quantia é usada para iniciar a obra e evitar atrasos. Uma característica desse tipo de compra é a correção monetária das primeiras parcelas – ou seja, antes da entrega das chaves – com base no Índice Nacional de Construção Civil (INCC).

 

Qual o prazo para entrega de imóvel comprado na planta?

Essa data é estipulada pela construtora e é registrada em contrato. Entretanto, esse prazo precisa ser respeitado. A legislação dá até 180 dias após o prazo firmado pela construtora  para a entrega das chaves.

Se o prazo de 180 dias estipulado por lei for excedido, a empresa deve pagar multa de 1% do valor pago até então pelo imóvel. Esse valor é acrescido em 0,5% por mês de atraso. Além disso, o distrato – ou seja, a desistência do financiamento – pode ser feito sem ônus ao comprador, que recebe todo o dinheiro que investiu de volta, nesses casos. 

O valor da multa por atraso de entrega da obra é atualizado com base no mesmo índice monetário estipulado no contrato. Caso seja de interesse do comprador continuar com o imóvel, ele pode utilizar a quantia para quitar parte do valor do imóvel. 

 

Posso desistir da compra de um apartamento na planta?

Pode. Entretanto, existe uma lei homologada no início de 2019 que regulamenta os distratos – ou seja, desistências de compra. De acordo com a nova lei, o cliente que desistir da compra de um imóvel na planta pagará multa de 50% do valor que já foi pago à construtora.

 

Como analiso se tenho condições de arcar com o financiamento?

O limite do valor das parcelas não pode ultrapassar 30% da renda total do comprador, por isso é o principal parâmetro que você deve utilizar. Entretanto, isso irá depender de uma série de fatores. O valor do imóvel é uma delas, assim como a renda do comprador (ou compradores), que também é decisiva para a aprovação do financiamento.

Logo após, as características individuais de quem busca o crédito são analisadas. As informações pessoais do comprador, como CPF, nível de escolaridade e profissão são levados em conta. Tudo isso é colocado em um simulador de financiamento e, posteriormente, à análise de crédito. 

Em relação à idade, quanto mais jovem for o solicitante, melhores podem ser as condições de pagamento, já que o tempo para quitar a dívida é maior —, podendo chegar a 30 anos, no caso da compra de imóveis.

 

Como garantir que tudo que foi prometido pela construtora será entregue?

Além da legislação citada acima, outras atitudes podem te ajudar a reivindicar aquilo que a construtora prometeu. Confira:

  • Ler atentamente o contrato de compra;
  • Guardar publicidade de qualquer natureza (cartazes, panfleto, outdoors, etc);
  • Fazer a vistoria do imóvel antes de pegar as chaves;


Com essas informações, você se protege de quaisquer problemas que possam surgir. Agora que você já sabe as respostas para as principais perguntas acerca da compra de apartamentos na planta, que tal conhecer nosso mais novo empreendimento? Clique aqui e confira a apresentação!

 

2019-10-03T14:24:14-03:00